quinta-feira, 22 de junho de 2017

encerradas as piscinas que nunca deviam ter sido inauguradas


Diz o lamuriante das suas próprias dores, no Ferro estão encerradas as piscinas, acrescentamos nós: que nunca deveriam ter sido abertas, mas inauguradas pelo agora de “novo candidato”.
Na época, foram inauguradas ao abrigo da lei belicosa, imposta pelo soba da época, cuja lei era a do próprio. Ao arrepio do estado de direito e da lei em vigor para todos os cidadãos.
Beneficiou do regime de escolha pessoal do direito e obrigação do amigo ou inimigo, cumprir ou não, a seu belo prazer? De modo idêntico a tantas outras, incluindo aquela, que agora se pede justiça nos tribunais, de prevaricação “fazendo-o com intenção de proporcionar à sociedade benefício que era indevido e que esta não obteria de outro modo", na Serra, Penedos Altos e outros que a verdadeira lei conseguiu descortinar.
A lei é do grande mestre de “novo candidato”!!, rezai por ele e pode ser que tenhais benefício, logo se vê! se estives-te na net, nos passeios, ofereceste pequeno almoço, enfim essas coisas? logo se vê!
25 anos de indulgências para amigos, devem merecer meia centena de crentes…

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Diálogos prováveis e de bom senso.




“Caros carpinteiros, Bom dia
Achais mesmo possível e de bom senso acreditar na instalação da EMA na Covilhã?
Faz sentido alguém de bom senso, induzir, pretendendo fazer acreditar que faz algum sentido, debater em campanha eleitoral tal assunto?
Mais, fará algum sentido que devamos usar o argumento do aeródromo de Castelo Branco, depois de termos sido pioneiros na sua construção e posterior desmantelamento? Castelo Branco?!
É brincadeira ou é mesmo a sério?
Antonio”

Caro Antonio
Não. Não faz sentido algum!
Brincamos com o assunto e infelizmente o desvario e inquietude neuronal de um dos candidatos, usa o tema para empolgamento das ostes, sem qualquer sentido de responsabilidade regional, muito menos patriótica.
Não faz sequer sentido, tratar um não assunto, explicando as idiotices alegadas. Estamos a falar de patamares de decisão completamente distantes. Não é uma decisão de comparação nacional, onde o fator equidade deve ser tomado em conta. Estamos a falar de uma decisão europeia. Quantas regiões têm pelo menos circunstâncias iguais ao nosso concelho? E o direito de reclamar para si esta agência em nome do desejado desenvolvimento? Desistimos de sonhar? Não! nós até queremos sonhar, perante o Brexit, com na instalação da City na Covilhã…e por ai fora... e até porque não, por estarmos mais perto do céu exigir a Trump uma agência da NASA? Quais Lages quais carapuças!!
Na verdade, pretende o candidato posicionar a discussão ao nível do senso comum, em detrimento do bom senso.
É nisto que encontramos o primeiro dano insanável da proposta. Colocar o assunto ao nível do senso comum é torna-lo pequeno, menospreza-lo e desvia-lo para o non sense, onde o estilo caceteiro pretende ganhar posição.
Uma ameaça e dano democrático. Igual a tantos outros que trouxeram profundas marcas na vida em comunidade. Hitler convenceu uma pequena parte do seu povo, que apurar a raça era uma ambição legítima. Anteriormente, diversos Klan angariaram a partir do anticatolicismo, anti-semitismo, o racismo angariar “purificadores” da sociedade americana. Tudo legitimo, quando reduzido ao senso comum de uma pequena parte da sociedade, mas obviamente danosa para o bom senso de todos.
Evidentemente este louco não angariaria mujahidins prometendo 11 virgens no paraíso. Não hesitaria prometer 22. Em linguagem mais recentemente aplicada na definição dos maiores perigos da democracia planetária, O POPULISMO.
Reside aqui o grande perigo para a Covilhã. Um líder de facção, alienar meia centena de cidadãos e através do seu fanatismo, espalhar de forma organizada o pânico e ganhar adeptos para uma causa, como tem acontecido desde a saída do agora “de novo” candidato, usando o mais económico e eficiente meio de comunicação, as redes sociais.
Agitar uma bandeira com objectivo inalcançável é sinal da evidente ganancia e demência do autor. Não é novidade. Sempre usou o mesmo procedimento para afirmar o mau princípio. Através dos seus operacionais, sempre convenceu o povo que o mundo acabava na gardunha e que alcançávamos a perfeição, protegendo-o (o povo) das barganhas que o próprio criava. Sempre promoveu o medo e o pânico, para valorização da sua própria imagem pseudo protetora.
O descaramento e a falta de vergonha caracterizam o falsário. Como é possível, na mesma intervenção, empurrar e promover o aeródromo de Castelo Branco, cuja existência apenas é possível, perante a janela de oportunidade face á destruição do aeródromo da Covilhã que o próprio promoveu? Descaramento escabroso e nocivo da dignidade Covilhanense.
A proposta para futuro, deverá fazer-nos reflectir quem tivemos a dirigir os destinos da Covilhã nos últimos 25 anos e porque chegamos onde chegamos. Nada estruturante, um vazio de desenvolvimento sustentável. Tudo retórica assente na promoção do conflito social entre covilhanenses. O mundo mudou, a idade do protagonista acentua os seus próprios defeitos, sabemos por isso que no confronto de ideias e projectos vencerá o bom senso, perante as marchas e delírios organizados por uma seita, cujo único defeito é acreditar num falso líder.

segunda-feira, 19 de junho de 2017

De novo, Covilhã para laparotos



Sem se rir, diz o reincidente e eterno “cãodidato” porque não a EMA prá Covilhã ?!
Das duas, uma! Acredita e é mesmo um delirado e alucinado fã da nossa ironia? ou definitivamente aderiu á insolência do “vale tudo” no ataque á inteligência do basbaque.
Acredita, ter-se dado bem com a lastimável vidinha do insolente artur Anselmo? Percursor do atentado á sanidade mental da comunidade? Engana-se! Rebanhou pouco mais do que uns quantos indefectíveis da causa pintoresca, de um empolgado delírio da “Covilhã mai linda c’o quêi”, bolos para entreter tolos, durante 25 anos.
Pois bem, caro idiota:
Sempre achamos, mal contada a história de que o aeródromo não servia para nada. Porque haverias de gastar um orçamento considerável dos covilhanenses com o Lemos Ferreira e gabinetes vários, para recuperar um símbolo do empreendedorismo precoce dos covilhanenses? Ganhar comissões e favores dos gabinetes? Todos sabemos que não és gajo para isso!... Mas que entretiveste a malta e ganhaste umas manchetes durante anos, todos percebemos… bolos para tolos?! Especialmente quando a malta percebeu que aterraste aquela porra para sempre. Tu bem sabias que um dia, podia fazer falta! E que havia espaço para o cubo e aeródromo!
Estás mesmo a ver e acreditas que uma agência com 500 funcionários (verdadeiros⇔3 cubos), na sua maioria europeus, cheguem a Lisboa ou Porto no domingo á noite, durmam e apanhem o comboio, expresso, ou lá o que seja, prá nossa santa terrinha na segunda? E os visitantes estimados entre 1500 e 2000 mensais? Bem! com esses não haveria problema. Sempre poderiam fazer uma viagem á boleia, de mochilinha e tenda no Pião!...
 Tanto bolo faz de ti um tolo…

O candidato do movimeinto "De novo Covilhã" foi o primêro a responder ao nosso repto, e tamen defende a sede da agencia do medicameinto na Covilhã


domingo, 11 de junho de 2017

façam mazé a periferica porra!

Depois da reabilitação do Centro histórico esta é a obra mais necessária na covilhã. Deixem-se de promessas da treta e de duvidosa utilidade.
 
A periférica para quem já não se lembra, destinava-se a "tirar o trânsito do centro da cidade e criar novas zonas de desenvolvimento" e teria quatro faixas de rodagem. Ah poizé

segunda-feira, 5 de junho de 2017

METRO NO PELORINHO...quem bota 20, tambem pudia pedir 21, tiu não achas?



Caixa de texto: pelourinhoO adolf olha lá tiu que te da´s com a asadinha da D.assunção não eiras gaijo pra pedir uma istação do metro pr´ó  pelorinho?! Quem bota 20, tambem pudia pedir 21, tiu não achas?
Nas campanhas metíamos lá a cambada toda e eiles que alanzoassem uns dos outros…isso é q’eira…desenguiçávamos o ambiente e peilo meinos nesta altura abalava esta ganapada toda. Não há granjeio nenhum… agora um corridor veirde?! 
O tecelão inté injuava…

sexta-feira, 2 de junho de 2017

o peregrino que vai a todas...



vai a todas, ele é católicos, evangélicos etc... e não havendo aeroporto ou heliporto, crava a dormida ao pobre e educado covilhanense que não tem cara para dizer que não a descarado pedido...

terça-feira, 23 de maio de 2017

a ignorância e a parvoice não tem limites

um dos maiores recursos naturais do concelho, que pode trazer investimeintos avultados para a região, continua a seir contestado por meia duzia de pacóvios fundamentalistas  e outros tantos politicos de algibeira. Uns tristes!

 

sexta-feira, 19 de maio de 2017

opinião do leitor



Caros amigos
Acompanho á muitos anos o vosso blog. Constato até que é o único que se mantem vivo, atravessando diversas épocas e contextos. Agrada-me a tentativa de pluralidade de opinião diversa.
Constato uma coerente discordância insanável e denúncia constante com o ex-presidente da camara. É evidente e reconheço a pertinência das denúncias, que em boa verdade sempre se vieram a demonstrar. Estamos de acordo. Não é uma pessoa que mereça a confiança da Covilhã. Foram e são, muitas hipocrisias e trapalhadas, que só muito descaramento, apego ao poder e idiossincrasia, poderiam fazer querer voltar passados 25 anos, quando tudo poderia ter sido feito e afinal ficamos na situação em que nos encontramos.
Porem, gostava de partilhar convosco a minha profunda preocupação com o facto da Covilhã poder estar num beco sem saída. Ao contrário do que nos querem fazer querer o actual procedimento politico, comparado não é diferente. Mais ou menos refinado, é de igual modo velhaco. A nobreza de caracter, a coerência de projecto político, não existe. O actual presidente é uma figura despicienda, ela própria governada, por um grupo de maus concelheiros, liderados pelo principal activista do ex-presidente. Poderia ser só a diferença no mandar ou ser mandado. Infelizmente não é. Trata-se mesmo de um espirito arrivista de covardia moral, cuja imoralidade admite a desfaçatez do coitadinho.
Assim sendo, a ameaça do beco sem saída preocupa-me. O PS é um partido com responsabilidades nacionais e especialmente local. Foi um mau partido local que legitimou uma farsa durante 25 anos. Espero que a contestação nacional a uma estratégia suicidária da figura responsável pelas autárquicas, chegue á Covilhã e se possa debater quem tem legitimidade para ser candidato e ajude ao progresso efectivo do nosso concelho, de modo a evitar que voltemos a estar arredados da camara nos próximos 20 anos.
Peço-vos que publiqueis a minha opinião e ficarei disponível para o debate que possa proporcionar.
Cumprimentos, pela liberdade  e pelo futuro da Covilhã.

Nota: decidimos publicar contributos de leitores, cuja opinião tenha espaço para debate nesta tertúlia internauta .